SALVE A AMAZÔNIA

Junte-se à luta contra a crise climática por meio do plantio de árvores na Amazônia junto às comunidades indígenas.

Torne-se um parceiro

Conheça nossos beneficiários

Florestas Corporativas

Essas marcas já iniciaram sua floresta. Clique no logotipo para visitar.

Somos uma ONG dedicada à conservação da Amazônia através do plantio de árvores com comunidades indígenas locais. Fazemos isso por meio de um programa de adoção de árvores onde você e qualquer pessoa no mundo pode ter sua própria árvore plantada na Amazônia.

PLANTAMOS A ÁRVORE COM O NOME QUE VOCÊ ESCOLHER, PODE SER SEU OU DE UMA PESSOA A QUEM VOCÊ QUER DAR.

#EUSOUAMAZÔNIA

POR QUE FAZEMOS ISSO?

Reverter a crise climática

As árvores absorvem CO2 da atmosfera ajudando a resfriar o ar e, assim, neutralizar o aquecimento global. Na Amazônia, as árvores crescem rapidamente graças às condições climáticas.

Reverter a crise climática

Apoiar as comunidades indígenas

As árvores são suas e podem ser utilizadas como enriquecimento florestal, remédio, alimentação e construção sustentável, já que vivem da floresta. Além disso, as comunidades lideram os plantios e têm total autonomia.

Apoiar as comunidades indígenas

Conservar a amazônia

A Amazônia sofre constantemente com o desmatamento massivo, colocando em risco a biodiversidade do bioma amazônico. Ao plantar árvores, estamos compensando o desmatamento para a conservação do ecossistema

Conservar a amazônia

Proteger a biodiversidade

Ao conservar o ecossistema amazônico ajudamos na conservação da flora e da fauna, habitats de tantas espécies de animais que precisam da densidade da selva para viver em plenitude.

Proteger a biodiversidade

Proteger a água

As florestas da Amazônia regulam as chuvas de todo o continente americano, e os rios da Amazônia equivalem a 20% da água doce mundial. Conservar a Amazônia é proteger a água que é produzida nesta selva.

Proteger a água

Combater a pobreza multidimensional

Um denominador comum é que as áreas de floresta tropical abrigam as populações mais pobres do mundo. Com a criação de projetos de desenvolvimento sustentável e alternativas de trabalho, apoiamos as economias locais dessas populações no combate à pobreza.

Combater a pobreza multidimensional

#EUSOUAMAZÔNIA

POR QUE A AMAZÔNIA?

  • A Amazônia é o lugar mais importante da terra

    data_image
  • Abriga 30% da biodiversidade mundial

    data_image
  • É habitada por mais de 350 grupos indígenas ancestraiss

    data_image
  • Possui o maior reserva de carbono do planeta, e sua existência é vital para o combate à Crise Climática

    data_image
  • A Amazônia é ameaçada por vários setores devido aos seus recursos inacessíveis

    data_image
  • Madeireiros, mineiros e fazendeiros desmatam há anos

    data_image

    Causas do desmatamento na Amazônia

  • Atualmente 17% já desapareceram, e o ritmo acelerado que leva, em 30 anos, poderia ser reduzido para 50%, colocando em risco a sobrevivência do planeta

    data_image

#EUSOUAMAZÔNIA

ADOTE UMA ÁRVORE

#EUSOUAMAZÔNIA

NOSSAS COMUNIDADES

communities_map

Vaupés

  • Tayazú

  • Santa Cruz

  • Trubón

  • Timbo

  • Yavaraté (Colombia-Brasil)

Caquetá

  • Resguardo indígena Huitorá

  • Resguardo Indígena Puerto Zábalo y los monos

Chocó

  • La Encharcazón

  • Bojayá

Putumayo

  • Resguardo Indígena Predio Putumayo

Esta comunidade da etnia Wanano está situada a duas horas e quarenta e cinco minutos da capital do departamento, podendo ser alcançada por via terrestre ou fluvial através do rio Vaupés. Esta comunidade tem se caracterizado por seu impulso criativo. Os membros da comunidade Tayazú são construtores experientes, desejados pelas comunidades vizinhas por sua grande habilidade no desenvolvimento de casas e malocas ancestrais e modernas. Nesta comunidade a mistura de estilos arquitetônicos é a prova viva da harmonia que pode existir entre diferentes povos e épocas.

community_image community_image community_image community_image

Essa comunidade tem acessibilidade por água e por terra, pertencente às etnias Wanano, Cubeo e Siriano, localizada a duas horas e meia da capital do departamento de Mitú e é composta por 40 famílias. Esta comunidade está atualmente em um processo de redescoberta de suas raízes, pois perceberam que toda a interação que mantêm com o mundo exterior as está separando de suas culturas ancestrais; os jovens têm migrado para as principais cidades do país para estudar e buscar novos horizontes. Por esses motivos, os membros da comunidade estão registrando seus costumes e tradições, por meio de livros e documentos, garantindo que sua ancestralidade, crenças e cultura não se percam com o passar do tempo.

community_image community_image community_image community_image

Comunidade indígena pertencente à etnia Cubeo da grande reserva indígena Vaupés. Esta comunidade é formada por 35 famílias e está localizada a uma hora da capital Mitú, às margens do rio Vaupés. Este rio milenar tem permitido a estas comunidades não só se alimentar, mas ter uma ligação profunda com o seu território e ser uma referência para toda a sua ordem. Esta comunidade destaca-se pelo interesse na confecção de artesanato, tradição que se mantém ao longo dos anos. Tanto assim que crianças e jovens fazem pequenos artesanatos e começam a inovar nesses elementos, pois para essa comunidade a manutenção de seus ritos culturais tornou-se essencial para afirmar sua identidade como povo indígena amazônico.

community_image community_image community_image community_image

Comunidade indígena pertencente à etnia Cubeo da grande reserva indígena Vaupés. Essa comunidade é formada por 15 famílias localizadas a duas horas de sua capital, Mitú, e assentadas às margens do rio Vaupés. Esta comunidade tem se destacado pela enorme liderança demonstrada por seus integrantes. Esta comunidade entendeu a necessidade de se empoderar e desenvolver organizações para proporcionar cada vez mais bem-estar à comunidade e que Vaupés deixe de ser o departamento mais esquecido da Colômbia. Membros da comunidade Timbó ocuparam cargos tão importantes quanto o governo de Vaupés e atuaram como presidentes de associações indígenas

community_image community_image community_image community_image

Comunidade indígena composta por 6 famílias localizadas na foz do rio Papuri até o rio Vaupés, na fronteira com o Brasil, uma comunidade de diversas etnias como Wanano, Desano, Piratapuyo, pertencente ao distrito de Yavarate, departamento de Vaupés, seus membros envolveram-se na vivência de suas tradições indígenas e no cuidado de seu território, receberam com grande entusiasmo o projeto de plantio de árvores de Saving The Amazon o 1º de setembro de 2019.

community_image community_image community_image

Comunidade indígena composta por 18 famílias localizadas na margem esquerda do rio Caquetá, pertencentes ao município de Solano, departamento de Caquetá, esta comunidade está mais próxima da área urbana da aldeia de Tagua, Puerto Leguizamo e do mesmo município de Solano , Seus membros têm se dedicado à pecuária, construção e trabalho assalariado, mas receberam com grande entusiasmo o projeto de plantio de árvores de Saving The Amazon o 26 de outubro de 2019.

community_image community_image community_image community_image

COMUNIDADE INDÍGENA DE JERUSALÉM: Comunidade formada por 11 famílias indígenas, assentadas às margens do rio Caquetá, pertencentes ao município de Solano, departamento de Caquetá, na divisa com a Amazônia. Comunidade que sobrevive com seus saberes tradicionais indígenas e costumes ancestrais da selva que habitam. Ao socializar o projeto de plantio de árvores nativas com a fundação Saving The Amazon, eles demonstraram grande interesse e participação absoluta, uma vez que não possuem renda econômica com trabalhos de conservação ou reflorestamento na floresta amazônica. É assim que começamos a semear o 1º de março de 2020.

COMUNIDADE INDÍGENA DE QUINCHE: Comunidade formada por 6 famílias indígenas, assentadas às margens do rio Caquetá, pertencentes ao município de Solano, departamento de Caquetá, na divisa com o Amazonas. Comunidade que se dedica principalmente à pesca como meio de subsistência, quando nos encontramos e contamos sobre o projeto de plantio de árvores nativas em seus territórios que forneceriam alimentos e remédios ancestrais, eles demonstraram interesse absoluto e participação imediata, foi assim que começamos os trabalhos de plantio. 2 de março de 2020.

COMUNIDADE INDÍGENA DE LOS ESTRECHOS: Comunidade indígena composta por 19 famílias localizada às margens do rio Caquetá, pertencente ao município de Solano, departamento de Caquetá, na divisa com a Amazônia. Esta comunidade é a maior da reserva e mais atualizada no que diz respeito aos projetos ambientais, pois é a comunidade piloto nomeada pela reserva, seus integrantes trabalham e subsistem com ofícios como pesca, silvicultura e costumes ancestrais como os fabricação de mambe para sua venda. Com eles começamos a trabalhar primeiro do que todas as comunidades anteriores na data de 28 de outubro de 2019.

community_image community_image community_image community_image

Encharcazón não é um nome comum, nem é comum saber onde está e quem mora ali. É um distrito do município de Rio Iró, localizado no departamento de Chocó. Aqui os chocoanos não têm muito, mas também não reclamam da falta de dinheiro, comida e condições de vida. Pelo contrário, a grande maioria deles agradece à vida, às montanhas e a Deus porque em meio a tanta pobreza, eles são felizes. Todos os habitantes de Encharcazón têm algo em comum, são vítimas da guerra na Colômbia. Todos eles moravam em locais próximos a esta aldeia, mas acabaram povoando esta parte remota do mundo devido ao deslocamento forçado de grupos armados. Todos tiveram que se despedir da boa vida que levaram em suas fazendas, subsistindo da agricultura e do campo, para começar do zero em uma pequena cidade com poucos recursos mas cheia de gente simpática, rostos sorridentes, paisagens acolhedoras.

Diante de tanta pobreza, a natureza é seu recurso mais precioso. No entanto, eles foram afetados pela mineração e pelo tratamento inadequado de resíduos. Hoje eles sabem que seu melhor trabalho é o reflorestamento. Todo mundo adora fazer caminhadas nas montanhas plantando árvores com Saving The Amazon. Aos olhos destes chocoanos, o nosso projeto é a possibilidade de melhorar as condições económicas do seu município, dando um passo em frente na reconciliação com o passado e continuando a viver na felicidade, mas longe da pobreza.

community_image community_image community_image community_image

A história de Bojayá é conhecida pela maioria dos colombianos. A antiga Bellavista é quase uma cidade fantasma, com resquícios do que restou da bomba-cilindro lançada durante o confronto entre as AUC e as FARC, quando caiu sobre a igreja que abrigava grande parte da população o 2 de maio de 2002. Igreja, algumas casas, uma escola, alguns campos. Todos esses espaços estão sendo consumidos pela selva, desaparecendo entre o abandono e a força da natureza. Dadas as condições, La Nueva Bellavista foi construída. Como o próprio nome indica, é uma nova cidade cheia de esperança e de gente ferida pelo conflito, mas com toda a coragem para seguir em frente. Todos nesta cidade aprenderam a ser felizes apesar de terem perdido amigos, alunos e familiares no ataque há mais de uma década, e hoje eles agradecem a Deus pela vida e oram a ele por um país em paz.

community_image community_image community_image community_image

COMUNIDADE INDÍGENA DE UMANCIA: Comunidade formada por 25 famílias estabelecidas às margens da margem direita do rio Caquetá, pertencentes ao município de Puerto Leguizamo, departamento de Putumayo, seus membros subsistem da pesca, do uso florestal de sua comunidade, portanto, receberam a céu aberto o projeto da fundação Saving The Amazon, com o plantio de árvores nativas o 3 de março de 2020.

community_image community_image community_image

#EUSOUAMAZÔNIA

NOSSOS BENEFICIÁRIOS

18

Comunidades impactadas

+115.000

Árvores Plantadas

+125.000

Toneladas de CO2 capturado

262

Famílias Beneficiadas