The issues and difficulties faced by social and environmental leaders

Autora: Isabella Celis Campos. Artista e ativista na discussão e acesso a informações sobre questões socioambientais. http://isabellaceliscampos.xyz/

Nos últimos anos, as inúmeras ameaças contra lideranças socioambientais em todo o mundo começaram a se tornar visíveis, uma situação que vem se agravando drasticamente sem ser efetivamente tratada pelas autoridades locais e nacionais. É um cenário crítico para a luta por um mundo mais justo social e ambientalmente, uma prática vital que tira a vida de muitas pessoas para o interesse de poucos, mas que atinge todas as populações e ecossistemas do mundo. Porém, uma constante para muitas pessoas é se questionar sobre os motivos e as causas desse problema. Por que ameaçam, assediam e matam pessoas que defendem a natureza, os territórios e, em essência, os direitos humanos?

Activismo ambiental

Às vezes pode ser difícil entender as situações sociais, políticas, econômicas, culturais e ambientais que existem em territórios periféricos e distantes dos centros urbanos, como capitais.  e grandes cidades. Provavelmente você, que está lendo este artigo, está em um centro urbano longe das selvas, florestas, campo ou alguma reserva ou território étnico, e possivelmente não conhece os contextos das áreas rurais: os modos e condições de vida, as necessidades e problemas que existem e, portanto, as lutas e os motivos pelos quais as pessoas se manifestam.

Particularmente na América Latina, a situação em territórios não centralizados é alarmante e desoladora há muitas décadas.  De um ponto de vista geral, os conflitos envolvendo terras, bens, serviços naturais e direitos humanos são gestados na conquista e colonização da América Latina pelas coroas europeias. Então, durante os processos de independência e nas décadas subsequentes, o discurso da classe política dominante nunca representou a diversidade cultural e social dos territórios, pelo contrário, o que tem prevalecido é a invisibilidade.

Saving The Amazon

Da mesma forma, os processos de globalização capitalista discriminaram as visões de vida de múltiplas sociedades não centralizadas, como comunidades étnicas e povos em territórios rurais. É justamente nesses territórios que há mais pobreza e menos presença integral do Estado. O acesso a serviços médicos, educação, saneamento e água potável é quase sempre nulo. Soma-se a isso vários interesses sobre o território por indústrias e atores armados fora da lei que se discernem com as visões das comunidadess.

 Com tais realidades críticas, as pessoas assumem lideranças essenciais e falam por tornar visíveis as desigualdades e vulnerabilidades, por defender territórios, por reivindicar ps direitos humanos e fundamentais que os Estados devem garantir a todos os cidadãos, mas que  muitos ainda são negados:  o direito de  o direito a viver com dignidade, o direito à propriedade individual e coletiva, à seguridade social, aos direitos econômicos, sociais e culturais essenciais à sua dignidade, a um padrão de vida adequado que garanta alimentação, assistência médica, educação, entre tantos outros.

 Líderes e defensores ambientais, que defendem realidades mais justas de seus territórios, são perseguidos e ameaçados, muitos vivem sob constante assédio e também são mortos.

Conforme documentado no Relatório Anual “Defend Tomorrow” da Global Witness - uma organização internacional renomada que acompanha líderes e defensores ambientais em todo o mundo - 2019 foi o ano em que mais líderes ambientais foram assassinados   nos Estados Unidos. Mundo: o número sombrio subiu para 212 pessoas. Dois terços deles ocorreram na América Latina e a Colômbia foi o país com o maior número já registrado, 64 líderes ambientais assassinados. É uma realidade global inaceitável e complexa que exige olhar para as situações sociais, políticas, culturais e econômicas que se desenvolveram durante décadas nos territórios que os defensores protegem. Rever, estudar e compreender esses conflitos sistemáticos e estruturais permite gerar soluções eficientes e duradouras que resolvam os problemas e busquem a proteção e o cumprimento dos direitos humanos. 

Principais fatores por trás dos crimes.

Por trás das perseguições e ameaças às lideranças socioambientais, existem múltiplos atores com interesses claros sobre o território e que veem no trabalho dos defensores um empecilho para o alcance de seus objetivos.

Uma das causas em nível global é a mudança no uso da terra para desenvolver projetos de extração de recursos naturais, onde empresas dos setores de agricultura, mineração e hidrocarbonetos estão vinculadas. Nesse sentido, diversos organismos internacionais e locais têm alertado que tanto as empresas como as instituições governamentais devem fazer a devida diligência, ouvir as populações do território e do entorno e criar mecanismos eficazes de participação cidadã, como votos populares ou consultas.  Além de trazer processos transparentes e congruentes ao contexto na entrega de licenças ambientais e concessões de recursos como água e onde prevalece a qualidade de vida das comunidades e dos ecossistemas.

 

 O controle e apropriação de terras por atores de fora do território - como latifundiários, frontais ou grupos armados - é outro dos principais motivos que colocam em risco defensores e populações. Ter poder territorial se traduz em domínio geopolítico que pode gerar  deslocamento forçado de populações, violações de D.D.H.H.,  perda de biodiversidade e desequilíbrios ecológicos. Conforme explicado em Liderança Ambiental: uma prática essencial, os territórios e suas características geográficas são parte indiscutível da identidade cultural das comunidades que neles vivem. Quando suas propriedades são modificadas ou valor econômico externo é agregado, a integridade dos habitantes também é prejudicada.

 Também é importante compreender que em algumas regiões o tráfico de drogas desempenha um papel dominante, criando redes e cadeias complexas a serem seguidas, onde os atores empresariais, o crime organizado, as instituições governamentais e a população civil estão interconectadas.

Aqui é preciso entender que nos cultivos ilícitos estão as pessoas mais vulneráveis da cadeia e as que suportam o pior, já que são os camponeses, que são obrigados a plantar coca, papoula ou maconha como única forma de renda para sobreviver. que acabam completamente afetados por programas de erradicação forçada e deslocamento forçado se eles se opõem ao plantio ou à erradicação.

 Finalmente, o grave problema da corrupção ressoa em todos os problemas. O uso indevido de poderes e faculdades de funcionários - tanto do setor privado como do setor público - facilita a perpetuação desses crimes e dificulta seus processos de esclarecimento. O feedback negativo sobre os conflitos favorece e esconde os culpados.

 A luta por realidades social e ambientalmente mais justas não pode continuar se aqueles que a defendem e lideram continuam a ser assassinados e reduzidos. Os Estados, por meio de seus governos, devem proteger o direito à segurança dos defensores e enfrentar a insegurança jurídica, bem como fortalecer suas instituições para prevenir a corrupção e fazer a devida justiça aos responsáveis.

As empresas também devem desenvolver e aplicar políticas contra todos os tipos de ameaças contra líderes e defensores e devem cooperar nas investigações. É hora de entender que as questões ambientais não são responsabilidade apenas dos líderes ambientais ou dos governos atuais. É preciso que todos tenhamos uma postura crítica diante das violações de direitos, que ouçamos as demandas e ajudemos a torná-las visíveis e a amplificá-las. Neste momento, vislumbram-se soluções regionais como o Convênio Escazú, que permitirá, entre várias coisas, o acesso à informação e garantias para o exercício da defesa e liderança socioambiental.

Did you know that you can adopt a tree and transform the lives of indigenous communities?
Click here and find out how

Leave a comment

Thank you for saving the Amazon

Your contribution helps us:

  • 1. Fight poverty.
  • 2. Revert the climate crisis.
  • 3. Support indigenous communities.
  • 4. Protect biodiversity.
  • 5. Protect the water.
  • 6. Preserve de Amazon rainforest.
Por favor espera que salgan los botones....!

Thank you for saving the Amazon

You can pay by payu latam

×

Discount codes